21 de dezembro de 2008

O que é o Natal?














Há perguntas a que não sei responder. Já soube, quando a idade não me permitia um conhecimento tão vasto da diversidade de Religiões e de costumes nem dos ensinamentos da História, das lições da Ciência.
Antes de entrar para a escola, em casa o Natal era só o Menino Jesus a descer pela chaminé durante a noite para deixar-me um presente no sapatinho - moedas pretas ou rebuçados, também pretos.
Quando entrei para a escola primária, o Natal começava mais cedo com o presépio - musgo verdadeiro a vaquinha e o burrinho, Maria José e o Menino nas palhinhas, os pastores e a caminho seguindo a estrela os Reis Magos... Nasci pagã, os meus preferidos eram a vaquinha e o burrinho tão quentinhos e bondosos... e lá no céu tão linda e sabedora a Estrela!
Aprendi com o meu pai a desenhar a estrela de cinco "bicos", mas nunca tive presépio em casa.
Depois apareceu a Árvore de Natal, via-se nas janelas, nos jardins. E fui eu própria que fiz a primeira árvore de Natal em casa, com lacinhos de cores e a estrela... mas isso não tornou o Menino Jesus mais generoso. Mas continuei a fazer a Árvore de Natal desde então, uns anos com os presentes outros mais artística, maior ou pequena, com enfeites de cores e luzes, agora mais natural... e com o passar anos resolvi substituir o Menino Jesus, contei aos meus filhos a história do seu nascimento e vesti-me de Pai Natal, de Mãe Natal... gostava de olhar o céu e pensar que por alguns minutos havia paz na Palestina.
Agora não sei bem o que é o Natal, continuo a comprar presentes, a comer as iguarias tradicionais nos pratos mais ricos e na melhor toalha e sempre no Alentejo...
Tenho saudades, não da minha infância, mas da magia do Natal que construía para os meus filhos... e que talvez volte se um dia tiver netos.
Agora o Natal começa em Outubro com o chamariz do comércio.
Não celebro o Natal a pensar no nascimento do Menino Jesus, não faço o presépio... Gosto da história e acredito nela só porque acredito nas histórias e até acredito que parte desta história se confunde com a História.
Acredito nos personagens, mas não acredito em Deus como o descrevem os Livros Sagrados, Antigo Testamento, Novo, Alcorão... e as guerras não param na Noite de Natal, nem o frio a fome a malvadez a ganância a desesperança....
No entanto adoro representações do presépio, e lembro-me das ruas de Alpedrinha, do Giraldo em Évora, do Redondo...
Mas este ano o meu voto vai para a estação de S. Bento no Porto, de onde são as imagens.
Um Bom Natal!

3 comentários:

Rui Luis Lima disse...

Olá Maria Lascas!
Feliz Natal e um Bom Ano 2009 para si, sãoos nossos votos sinceros.
Beijinhos
Paula e Rui Lima

Lídia Craveiro disse...

Um feliz Natal e um Ano Novo cheio de coisas boas são os meus votos sinceros para ti.

do Alentejo

Lidia Craveiro

Alexandre Júlio disse...

Oí minha querida do banco de jardim!

Como vão as tuas lides, que não te deixas ver, ouvir ou sentir!

Tenho um saquinho para ti, com o balsamo doirado das minhas obreiras, passei inumeras vezes pela casa dos teus pais em Montemor, mas nunca lá os encontro.

Boas Festas, Feliz Ano Novo, para ti e toda a família, principalmente com saude, amor e carinho da família e amigos, beijocas, Alexandre.