8 de dezembro de 2012

8 de Dezembro, Florbela e Neruda


Hoje dia 8 de Dezembro, dia do nascimento e morte de Florbela Espanca
revisitei o seu túmulo em Vila Viçosa e deixou um excerto de outro poeta maior, Pablo Neruda in Versos do Capitão:
"
... quem sou, e porque ninguém me conheceu como uma,

como uma só das tuas mãos,

porque ninguém

soube como, nem quando

meu coração esteve ardendo:

somente

teus grandes olhos pardos o souberam,

a tua boca larga,

a tua pele, os teus peitos,

o teu ventre, as tuas entranhas

e a tua alma, que eu despertei

para que ficasse

a cantar até ao fim da vida.

 ....
Meu amor, espero-te." 


1 comentário:

maria lascas disse...

Gosto destes dois Poetas: Florbela e Neruda que considero diferentes, mas que tocaram o meu lado afectivo-emocional com uma intensidade como mais ninguém...
Mais ainda do que isso a sua poesia mostrou-me antecipadamente os meus passos futuros e até as suas consequências...