3 de julho de 2013

Procuro

Florbela Espanca Pablo Neruda Al Mutamid escreveram a minha vida antes de acontecer Procuro, sempre procurei - não o útero o olhar o beijo o seio os pássaros as flores o menino-irmão a cal o azul, do vento do mar o Sol a fonte a terra o horizonte o bafo do cão - houve sempre um cão o perfume da laranjeira o cavaleiro andante a alma-gémea, estrela no céu… - todo o sentir o encontro, reino adoração eterno e infinito, a plenitude tudo foi meu! Procuro - não a obra o nome a memória a riqueza a beleza, o que nunca terei nem macho nem homem nem Deus a alma outro mistério, a essência eu Procuro, insaciável onde meu futuro se escreveu. (não para o mudar - falsear palavras minhas dos Poetas: nunca!) Quero dor e espasmo, vir e devir transmutando-me que os poemas maiores em mim se cumpram (inédito, 2013)

Sem comentários: